Acompanhe diversas dicas sobre saúde aqui!

NOSSO BLOG

prematuridade.jpg

No mês de novembro existem diversas campanhas, uma delas é conhecida como Novembro Roxo, que promove um mês inteiro de ações e eventos voltados à prematuridade. O dia mundial da prematuridade ocorre anualmente no dia 17 de novembro.

Você já ouviu alguém falando: “Bebê prematuro não se cria!”?

Atualmente, com os avanços tecnológicos as Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) tem promovido auxílio para sobrevida dos bebês com menos de 37 semanas de gestação conhecidos como prematuros ou pré-termos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 15 milhões de bebês nascem de forma prematura todo ano.

Alguns dos sobreviventes enfrentam desafios ao decorrer da vida, podendo ser dificuldades de aprendizagem, problemas visuais, auditivos, entre outros.

Você conhece alguém prematuro? Compartilhe com a gente a história.

Texto: Eduarda Besen e Luciana Cigana


DOIS-OUVIDOS.jpg

Nossos dois ouvidos recebem os sons e os transmitem à região do nosso cérebro que processa a audição.

Quando nossos ouvidos percebem o som, o cérebro determina sua direção (localização sonora). Isto é possível porque um ouvido capta o som uma fração de segundo antes e um pouco mais forte que o outro. Esta habilidade de localização nos alerta, por exemplo, sobre a aproximação de carros quando cruzamos a rua.

Outro fator importante é a qualidade sonora, que é muito superior quando ouvimos com os dois ouvidos. A fala ouvida com apenas um ouvido pode parecer desafinada e estranha.

Por isso, caso perceba alguma dificuldade na audição de um de seus ouvidos, procure um especialista. Nós do Instituto Otovida somos especialistas em cuidar de você!


acufenometria1.jpg

O TESTE QUE MEDE O TIPO (FREQUÊNCIA SONORA) E O VOLUME DO ZUMBIDO

O exame de Acufenometria avalia as características psicoacústicas do zumbido, ou seja, a intensidade e frequência com que o zumbido é percebido pela pessoa.

O exame é realizado em uma cabine acústica com uso de fones. São apresentados estímulos de diferentes frequências e o paciente deve responder qual som é mais parecido com o seu zumbido, e depois é determinado o nível de som capaz de fazer com que o zumbido não seja mais percebido.

Esta avaliação auxilia na determinação do melhor método de tratamento para o zumbido.


DOR-DE-GARGANTA.jpg

Nos casos da dor de garganta de origem não infecciosa ocorre pelo uso excessivo da voz, irritação a ar seco e fumaça, alergias, refluxo e até mesmo câncer.

Mas no caso da dor de garganta de origem infecciosa existem várias causas.

A infecção viral é 20 vezes mais comum do que a bacteriana, e a porta de entrada são as vias aéreas, e o contágio pode ocorrer tanto pelo ar quanto pelo contato das mãos contaminadas com o nariz.

Os vírus ou bactérias infectam células e se multiplicam na área da garganta. O sistema imune reage, desatando uma inflamação. Se o agente for um vírus, o contra-ataque do organismo acontece em toda a região. Quando a causa é uma bactéria, a batalha tende a se concentrar nas amígdalas.

A ofensiva viral e a reação inflamatória despertada por ela afetam toda a mucosa da garganta, gerando vermelhidão, coceira, inchaço e dor. Na bacteriana, as amígdalas ficam inchadas e podem sediar uma placa esbranquiçada, o pus. A febre pode dar as caras em ambos os casos.


OTITE-EXTERNA.jpg

A otite externa, também conhecida como “ouvido de nadador”, é uma inflamação da pele do canal auditivo externo, que transporta os sons do exterior ao tímpano.

Geralmente, a otite só ocorre quando o nosso ouvido está em contato com a água de forma intensiva, como na praia ou na piscina, favorecendo assim o desenvolvimento de fungos e bactérias.

Outras vezes, a otite é o resultado de alergias, eczemas, feridas por arranhões ou danos com objetos afiados.

Veja abaixo os principais sintomas e como prevenir a otite:

O principal sintoma da otite externa é a dor de ouvido, que pode variar de um simples incomodo até uma dor severa.

As vezes o ouvido drena, o que dificulta a audição quando se junta com outras impurezas ou com a própria inflamação.

Ao tomar banho, seque perfeitamente os ouvidos com a toalha ou secador.

Não limpe o ouvido com qualquer objeto.

Não tente eliminar a cera pelas suas próprias vias.

Se algum dos sintomas de otite acima descritos aparecerem consulte um médico, no Instituto Otovida temos os melhores especialidades para atender você.


idosos-1.jpg

A perda auditiva no idoso, faz parte do processo degenerativo relacionado ao envelhecimento natural do indivíduo. Isso acontece, devido à morte de algumas células auditivas. Cerca de 11% dos pacientes entre 44 e 54 anos já apresentam alguma perda auditiva. Este percentual sobe para 25% entre as pessoas de 55 e 65 anos e chega a quase 50% da população com mais de 70 anos.

Componentes genéticos e fatores de risco específicos como diabetes, pressão alta, tabagismo e uso excessivo de álcool podem acelerar esse processo de perda progressiva da audição ao longo da vida (presbiacusia).

Por isso, no decorrer do dia-a-dia cuide da sua saúde e da sua audição.

Previna-se da perda auditiva na terceira idade!


GRAUS.jpg

Perda auditiva leve

Incapacidade de ouvir sons fracos e dificuldade para ouvir em ambiente ruidoso.

Perda auditiva moderada

Incapacidade de ouvir sons fracos e de intensidade moderada, dificuldade considerável em entender a fala, especialmente na presença de ruído de fundo.

Perda auditiva severa

Incapacidade de ouvir a maioria dos sons. Os falantes precisam aumentar a intensidade da voz para que os ouçam. As conversas em grupo são possíveis, mas somente com considerável esforço.

Perda auditiva profunda

Alguns sons muito intensos são audíveis, mas a comunicação sem aparelhos auditivos ou linguagem oral é muito difícil.

E você, se identificou com algum grau de perda auditiva ou conhece a


cotonete.png

Em vez de limpar, elas empurram a cera cada vez mais pra dentro do conduto auditivo, acarretando sérios problemas e infecções, como as otites, podendo causar até uma perfuração no tímpano.

As orelhas devem ser limpas, após o banho, com uma toalha macia, apenas pelo lado de fora.

A Cera é benéfica e protege os nossos ouvidos, mas somente enquanto não incomodar.

Dependendo da pessoa, algumas nunca precisaram ir ao médico, outras necessitam de lavagens periódicas.

Quando isso ocorre, somente o otorrino poderá limpar mais profundamente.

No Instituto Otovida temos profissionais capacitamos e especialistas em cuidar de você.


gaez-arte.png

Com o objetivo de estudar o ZUMBIDO para melhor atender e oferecer técnicas atuais de atendimento clínico, o Instituto Otovida realiza, desde 2017, o Grupo de Atenção e Estudo do Zumbido – formado por uma equipe multidisciplinar com fonoaudólogas, psicólogos, fisioterapeutas e médicos otorrinolaringologistas especialistas em otoneurologia.

O Instituto Otovida é um centro de referência na área da saúde auditiva, além de pioneiro no estudo do ZUMBIDO sendo o primeiro grupo do Estado de Santa Catarina – com o principal propósito de oferecer o melhor tratamento aos pacientes.

O ZUMBIDO não é um doença, é um sintoma que é comum a várias doenças ou alterações, e por isso sempre merece uma investigação de sua causa. Pode ser definido como uma percepção sonora na ausência de estímulo acústico externo. Em outras palavras é um som que é percebido, na maioria das vezes, apenas pela própria pessoa e que parece vir de uma das orelhas, de ambas as orelhas, ou simplesmente de “dentro da cabeça”. O zumbido pode ser de vários tipos. Geralmente se parece com um som contínuo, semelhante a um apito, um

grilo, uma cigarra, a um chiaço, um motor, dentre outras definições. Porém, menos comumente, pode se parecer com algo pulsátil, como o bater do coração ou o bater de asas de um inseto, por exemplo. Além disso, uma mesma pessoa pode ter zumbidos diferentes, que podem ser percebidos no mesmo local ou em locais diferentes.

Atualmente cerca de 28 milhões de brasileiros sofrem de zumbido. No mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) são 278 milhões de pessoas com o problema.

O Instituto Otovida busca diariamente a qualidade de vida dos seus pacientes e através do GAEZ estuda e trata o ZUMBIDO.

Nas próximastextos iremos conversar mais sobre os estudos realizados pelo GAEZ, assim como os melhores tratamentos.


causas_perda_auditiva.jpeg

A audição é um dos sentidos que possibilita novos aprendizados, tranquiliza a mente e ajuda-nos a melhorar a visão de mundo, mas apesar de todas essas maravilhas, muita gente não toma os devidos cuidados para manter a sensibilidade aos sons bem apurada.

Existem várias causas da perda auditiva que atingem não só idosos, mas também jovens e adultos.

Infecções

Entre os principais problemas que levam à perda da audição, estão as infecções, como a otite. Elas podem ser causadas por bactérias ou vírus, principalmente como sintoma de outras doenças: por exemplo, uma forte gripe ou uma alergia.

Perfurações do tímpano

A perfuração do tímpano pode acontecer por meio de atitudes pouco saudáveis, entre elas, a limpeza da orelha com materiais pontiagudos, como tubo de caneta, grampo de cabelo e até hastes flexíveis. No entanto, a causa mais comum da perfuração do tímpano também é a otite média, em razão das infecções. A pessoa sente uma intensa dor e sofre com sangramentos, coceira, zumbidos, diminuição da audição e presença de secreções amarelas.

Uso indevido de tecnologias

Atualmente, ouvir músicas em volume muito alto, por meio dos fones de ouvido, é um dos principais fatores responsáveis por inúmeros problemas na audição. A orientação é sempre manter o volume em uma escala agradável – Essa é uma das principais causas da perda auditiva entre os jovens. Esse tipo de lesão causada pelo fone de ouvido provoca uma perda auditiva irreversível  e que só pode ser corrigida por meio do uso de aparelhos auditivos.

Barulho intenso no trabalho

Outra causa da perda auditiva é a exposição a barulhos intensos no ambiente de trabalho, como aqueles provenientes de máquinas, soldas, furadeiras, guitarras, baterias, baixos e afins.

É dever dos empregadores garantir que todos os profissionais tenham acesso a EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) – o protetor auricular faz parte dos EPIs. O seu formato e o tecido de silicone protegem a audição de altas intensidades sonoras e garantem o conforto do trabalhador.

Fonte: Comunicare


Instituto Otovida

SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ – com atenção à saúde da sua garganta, nariz e ouvidos.

Atendimento com uma abordagem integrada de profissionais nas áreas de fonoaudiologia, psicologia, serviço social e médicos otorrinolaringologistas para oferecer a você os melhores tratamentos e resultados; num espaço, confortável com mais de 1300m² de área.

Desenvolvimento e reabilitação para os melhores resultados.

Responsável Técnica: Fabiana Scarton – CRM-SC 13311

Acompanhe a gente pelo Facebook

Cadastre-se e Receba dicas incríveis sobre saúde


Contatos e Localização

CONTATOS E LOCALIZAÇÃO

Avenida Governador Ivo Silveira, 3861 – Capoeiras, Florianópolis/SC

Telefone: (48) 3223-6060

WhatsApp: (48) 99172-0606 / (48) 99178-2207

Facilidades de acesso:

Anexo ao Hotel TRI – antigo Hotel Itaguaçu, na divisa dos municípios de Florianópolis e São José.

Todos os Direitos Reservados •  JS ATIVIDADE DIGITAL