Acompanhe diversas dicas sobre saúde aqui!

NOSSO BLOG

13B25423-76F1-4905-863A-2352F1309776.png

A audição é uma das principais formas de conexão da criança com o mundo. É por meio da audição que a criança desenvolve a linguagem oral e aprende a falar.

A audição já está formada desde a gestação. Na gravidez, o bebê é capaz de reconhecer a voz da mãe e quando nasce, aos poucos começa a descobrir de onde cada som está vindo, e quem ou o que o está produzindo.

Como saber se o bebê ouve bem?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A triagem auditiva neonatal conhecida como teste da orelhinha é a única estratégia que permite a identificação precoce de bebês com perda auditiva. É um procedimento simples, rápido e indolor que avalia a audição do bebê.

Quais as principais causas da perda auditiva neonatal?

Existem diversos fatores de risco associados à perda auditiva no neonatal, dentre eles os mais comuns são infecções da mãe durante a gestação, história familiar de surdez, prematuridade, peso ao nascer menor de um 1.500g, internação por cinco dias ou mais em UTI neonatal, uso de determinados antibióticos, entre outros.

Se o bebê se assusta com som alto é sinal que ouve bem?

Não necessariamente. Existem vários graus de perda auditiva. O bebê pode ter uma perda auditiva leve ou moderada e ainda assim assustar-se com sons altos. As perdas auditivas leves ou moderadas podem causar atraso no desenvolvimento da linguagem.

No INSTITUTO OTOVIDA realizamos exames e temos profissionais especializados em cuidar de você!!!


criança-zumbido-1.jpg

Assim como a perda auditiva, zumbido também é um assunto que muitos julgam pertencer somente ao público adulto/idoso. Mas crianças também podem sofrem com zumbido e de forma bastante comum.

As crianças podem ouvir ruídos anormais nos ouvidos, mesmo em idade pré-escolar. No entanto, na maioria dos casos podem não conseguir expressá-lo ou até nem se aperceberem que existe um som de zumbido incomum por este já ser constante.

Tal como nos adultos, o zumbido nas crianças pode ter um impacto significativo no seu estado de espírito. Um dos ambientes em que isso está mais evidente é no contexto da escola. O zumbido pode afetar a concentração e a reação aos diferentes ambientes, pois tanto salas de aula barulhentas como ambientes silenciosos de estudo podem tornar o zumbido mais evidente.

Em crianças em que o zumbido seja muito deteriorante, pode notar-se uma tentativa de evasão de situações sociais em que exista muito barulho ou confusão, como festas de anos, o que em última instância poderá afetar também o convívio com outras crianças.

Em casa, criança que sofrem de zumbido têm normalmente muita dificuldade em adormecer e mostram-se muito ansiosos. Tudo isto são fatores preocupantes e que devem ser abordados o mais rapidamente possível.

Se notar estes sintomas numa criança, procure um profissional e avalie a sua audição – no Instituto Otovida temos profissionais especializados em atender você e sua família.


6106FC04-61C7-4487-95CB-AA16D6265EA7.png

O FRIO CHEGOU!!! E Você sabe quais são as doenças mais comuns no inverno?⁣

São as infecções respiratórias as principais vilãs que surgem nesta época.

Conheça as mais comuns:⁣

#Bronquite⁣

#Asma⁣

#Gripe⁣

#Resfriado⁣

#Pneumonia⁣

#Rinite⁣

#Sinusite⁣

#Faringite⁣

#Amigdalite⁣

PREVINA-SE⁣

* Procure se alimentar adequadamente para manter a imunidade elevada;

* Beba muito líquido.;

* Evite lugares fechados e com pouca circulação de ar;

* Lave as mãos com frequência;

* Mantenha a casa limpa, livre de poeira, ácaros, etc;

* Mantenha o ambiente bem umidificado;

* Evite fumar;

* Mantenha as vacinas em dia.⁣

Ficou com alguma dúvida ou apresenta alguns dos sintomas entre em contato com o INSTITUTO OTOVIDA – envie sua pergunta ou agende uma consulta – SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ!


23392AA4-8CA9-4EC9-8E0A-9FF9AC25A08A.png

O zumbido é um problema auditivo que afeta uma parte significativa da população. E apesar disso a maioria das pessoas não procura ajuda de um especialista, optando por esperar que o problema passe ou tente ignorá-lo. Consequentemente, muitos mitos sobre o zumbido são criados. Hoje desvendamos a verdade sobre quatro desses mitos.

 

Mito 1: o zumbido é uma doença. 

O zumbido não é considerado uma doença, mas sim um sintoma. O zumbido pode derivar de doenças vasculares, lesões traumáticas do cérebro, ou até do efeito de alguns medicamentos.

Mito 2: todas as pessoas com zumbido eventualmente perde totalmente a audição. 

Apesar de quem sofre de zumbido poder vir a perder a audição, estas são condições independentes. Além disso, a perda de audição não significa total incapacidade de audição. 

Mito 3: aparelhos auditivos não ajudam no tratamento do zumbido. 

Existem, sim, aparelhos auditivos que podem auxiliar tanto na perda auditiva como no tratamento do zumbido. Ao aumentarem o som dos barulhos exteriores, disfarçam o ruído interior do ouvido.

Mito 4: não há nada que possa fazer em relação ao zumbido. 

Existem vários tratamentos indicados no alívio e gestão do zumbido.

A maioria destes mitos está relacionada com a falta de informação acerca do Zumbido, das suas causas e tratamentos. Se deseja ser informado mais detalhadamente sobre problemas auditivos como o zumbido, ou se sofre deste problema, marque uma consulta conosco! No Instituto Otovida temos profissionais especializados em cuidar de você.


audição.png

Uma possível perda auditiva é mais difícil de identificar em crianças mais velhas, cuja habilidade na linguagem é mais desenvolvida.

Veja abaixo algumas orientações que podem ajudar os pais a detectar uma possível perda auditiva nos filhos:

*parece ouvir bem algumas vêzes e outra vêzes não responde ao ser indagado.

*assiste TV num volume mais alto que outros membros da família.

*fala com frequência  “o que”.

*posiciona um dos ouvidos para a frente quando está ouvindo e reclama que só escuta com o “ouvido bom”

*queda no rendimento escolar

*diz que não lhe escuta e é obvio que muitos pais acham que seus filhos não são atenciosos quando de fato deve existir uma perda auditiva não identificada.

*parece ser desatencioso.

*fala mais alto que anteriormente.

*olha com muita intensidade quando você fala com ele, como se dependesse mais dos sinais visuais para interpretar a conversa.

Se você suspeita que seu filho tem perda auditiva consulte um médico para orientações com mais esclarecimentos. no Instituto Otovida temos profissionais especializados para atender você e sua família.


a9af0b40-0ded-0137-088e-6231c35b6685-minified-1200x637.jpg

SIM, pois uma audição normal é extremamente importante para o desenvolvimento da leitura e da escrita, pois a base da leitura é o conhecimento de que cada letra corresponde a um som.

Acompanhe aqui abaixo a importância do bem estar auditivo das crianças e esteja sempre atento aos pequenos sinais que eles as vezes nos dão de que algo não está indo bem!

Algumas vezes, a criança nasce com audição normal, mas apresenta uma perda congênita progressiva que pode prejudicar o aprendizado. Mais frequente ainda é a perda auditiva leve ou moderada decorrente de otite média.

Uma boa audição e um bom processamento auditivo são extremamente importantes numa sala de aula, por exemplo, em que o aluno deve focar a atenção no que é dito pelo professor e ignorar qualquer outro estímulo que possa interferir negativamente na escuta: conversa dos colegas, arrastar de cadeiras, passos no corredor, barulho do ventilador, buzinas na rua ou gritaria no pátio da escola.

A criança que apresenta processamento auditivo central normal entenderá a professora com facilidade, enquanto a que tem alteração da audição ou do processamento poderá ter dificuldade em compreender o que está sendo dito, o que pode interferir negativamente no seu processo de aprendizagem.

Sempre que uma criança apresentar transtorno da aprendizagem deve ser incluída na bateria de exames uma avaliação da audição e do processamento auditivo, antes que se inicie qualquer tipo de atendimento.

Quando a causa é identificada, a terapia específica para o problema é muito mais rápida e eficaz.


saúde-auditiva.jpg

Hoje em dia falamos muito sobre a importância da atividade física, de cuidar do coração, da pele, mas pouco se discute sobre os cuidados com a audição, a fala e o olfato. Assim como os outros órgãos, a audição também envelhece e precisa de monitoramento desde a infância até a terceira idade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a surdez atinge 28 milhões de brasileiros. Isso representa 14% da população do País. No mundo a OMS aponta que 10% da população têm alguma perda auditiva e boa parte dessas pessoas teve a audição danificada por exposição excessiva a sons.

Outro levantamento da OMS mostra que 900 milhões de pessoas em todo o mundo poderão vir a ter surdez até 2050, quase o dobro da quantidade atual. Por esse motivo, a surdez é uma das cinco prioridades da OMS para este século.

Veja abaixo os CUIDADOS necessários e preventivos para uma boa saúde auditiva:

Assim como qualquer outra parte do corpo humano, a audição precisa de atenção especial. Para manter a saúde do tecido auditivo em dia, são necessários cuidados básicos como não se expor a barulhos muito altos em fones de ouvido, evitar introduzir objetos e deixar cair água dentro do canal auditivo, pois isso, pode causar infecções.

O cotonete também é um vilão quando o assunto é audição. As hastes flexíveis são para limpar a orelha e o hábito de limpar dentro do ouvido com o cotonete pode ser um risco, principalmente porque ele pode machucar o tímpano. Ele serve para a gente passar só na parte externa do ouvido.

A limpeza com cotonetes deve se restringir à parte mais externa do ouvido e o uso incorreto pode levar a problemas sérios, e até a surdez. A limpeza de forma errada pode levar à formação de rolhas de cerume que obstruem os ouvidos causando a perda da audição que se resolve, somente, após a limpeza adequada com o otorrinolaringologista.


audiologia-1030x685-1.jpg

Hoje em dia falamos muito sobre a importância da atividade física, de cuidar do coração, da pele, mas pouco se discute sobre os cuidados com a audição, a fala e o olfato. Assim como os outros órgãos, a audição também envelhece e precisa de monitoramento desde a infância até a terceira idade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a surdez atinge 28 milhões de brasileiros. Isso representa 14% da população do País. No mundo a OMS aponta que 10% da população têm alguma perda auditiva e boa parte dessas pessoas teve a audição danificada por exposição excessiva a sons.

Outro levantamento da OMS mostra que 900 milhões de pessoas em todo o mundo poderão vir a ter surdez até 2050, quase o dobro da quantidade atual. Por esse motivo, a surdez é uma das cinco prioridades da OMS para este século.

Veja abaixo os CUIDADOS necessários e preventivos para uma boa saúde auditiva:

Assim como qualquer outra parte do corpo humano, a audição precisa de atenção especial. Para manter a saúde do tecido auditivo em dia, são necessários cuidados básicos como não se expor a barulhos muito altos em fones de ouvido, evitar introduzir objetos e deixar cair água dentro do canal auditivo, pois isso, pode causar infecções.

O cotonete também é um vilão quando o assunto é audição. As hastes flexíveis são para limpar a orelha e o hábito de limpar dentro do ouvido com o cotonete pode ser um risco, principalmente porque ele pode machucar o tímpano. Ele serve para a gente passar só na parte externa do ouvido.

A limpeza com cotonetes deve se restringir à parte mais externa do ouvido e o uso incorreto pode levar a problemas sérios, e até a surdez. A limpeza de forma errada pode levar à formação de rolhas de cerume que obstruem os ouvidos causando a perda da audição que se resolve, somente, após a limpeza adequada com o otorrinolaringologista.


otorrino.png

Otorrinolaringologia é uma especialidade médica que diagnostica e trata distúrbios do ouvido, nariz e garganta, bem como condições que afetam a cabeça e pescoço. Assim que começam a sentir sintomas de que há problemas nessas regiões, muitos começam a se perguntar qual é o melhor momento para consultar um médico otorrinolaringologista. E é sobre isso que falaremos nesse post.

A avaliação do Otorrinolaringologista é muito importante para o correto diagnóstico e tratamento das doenças que se manifestam nas regiões do ouvido, nariz e garganta. Aliás, há muitos sintomas diferentes que afetam essas áreas do corpo e que sinalizam a necessidade de consultar um médico otorrinolaringologista.

Os sinais de que é hora de visitar um profissional especializado e sintomas mais comuns são:
* Obstrução nasal
* Secreção nasal
* Sangramento nasal (epistaxe)
* Dor de cabeça (cefaléia)
* Dor na face
* Tontura
* Dificuldade auditiva/surdez
* Zumbido
* Secreção no ouvido (otorréia)
* Sangramento no ouvido (otorragia)
* Dor de ouvido (otalgia)
* Dor de garganta
* Rouquidão (disfonia)
* Roncos

Os sintomas mais comuns:
Perda Auditiva
Zumbido
Dor na face
Dor de garganta
Congestão nasal
Dores de cabeça

Problemas tratados por um otorrinolaringologista:
Ouvido e audição
Nariz e respiração
Garganta e Voz
Cabeça e pescoço

No Instituto Otovida temos médicos Otorrinolaringologistas especialistas em atender você. Entre em contato conosco e agende sua consulta: Telefone (48) 32236060 ou WhatsApp (48) 99172-0606 ou (48) 99178-2207


ZUMBIDO.png

O número de pacientes com zumbido vem crescendo a cada dia – dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que o problema afeta 280 milhões de pessoas, de várias idades, em todo o mundo. A divulgação de informações, assim como dicas sobre o assunto é de grande importância e tem como principal objetivo, além do esclarecimento correto sobre os sintomas – lembrar as pessoas dos cuidado com a audição – levando, inclusive ao diagnóstico e tratamento precoce.

Confira as principais dúvidas respondidas pelos nossos Médicos Otorrinolaringologistas – especialistas em otoneurologia – Dr. Evandro Maccarini Manoel e Dra. Cristiane Popoaski.

O QUE É ZUMBIDO? O zumbido pode ser definido como uma percepção sonora na ausência de estímulo acústico externo. Em outras palavras é um som que é percebido, na maioria das vezes, apenas pela própria pessoa e que parece vir de uma das orelhas, de ambas as orelhas, ou simplesmente de “dentro da cabeça”. O zumbido pode ser de vários tipos. Geralmente se parece com um som contínuo, semelhante a um apito, um grilo, uma cigarra, a um chiaço, um motor, dentre outras definições. Porém, menos comumente, pode se parecer com algo pulsátil, como o bater do coração ou o bater de asas de um inseto, por exemplo. Além disso, uma mesma pessoa pode ter zumbidos diferentes, que podem ser percebidos no mesmo local ou em locais diferentes.

ZUMBIDO É UMA DOENÇA? Não. O zumbido é um sintoma que é comum a várias doenças ou alterações, e por isso sempre merece uma investigação de sua causa pelo seu médico.

O QUE PROVOCA ZUMBIDO? O zumbido pode ter várias causas. Acredita-se que a grande maioria dos casos de zumbido contínuos estejam relacionados à perda auditiva (mesmo que muito leve) ou a uma hipersensibilidade auditiva. Aliás, muitas vezes o zumbido é o primeiro sinal que o paciente percebe de uma perda auditiva inicial, antes mesmo de perceber a sensação de não estar ouvindo bem. No entanto, o zumbido pode ter outras causas como alterações metabólicas, psicológicas, neurológicas e musculares, como nos distúrbios de articulação temporo-mandibular. Causas mais graves, como por exemplo tumores, felizmente são raras, mas podem eventualmente ter como primeiro sintoma o zumbido. Zumbidos considerados “pulsáteis” geralmente tem como causas alterações vasculares (de veias ou artérias) ou musculares. E para deixar a situação um pouco mais difícil para o médico, não raramente o paciente com zumbido pode ter mais de uma causa para o seu sintoma.

SE UMA PESSOA DESCONFIA QUE SOFRE DE ZUMBIDO, O QUE ELA DEVE FAZER? Justamente por tantas possibilidades de causas para um zumbido, é fundamental que o paciente com esse sintoma procure um médico especialista, no caso um otorrinolaringologista, de preferência com experiência na área de otoneurologia, para fazer uma investigação diagnóstica e, se necessário, o tratamento adequado.

ZUMBIDO TEM CURA? Depende. Alguns tipos de zumbido têm cura. Alguns, inclusive, melhoram às vezes sem que o médico precise fazer alguma coisa. Por outro lado, infelizmente muitos tipos de zumbido a cura – ou seja, a resolução completa do zumbido – ainda não é conhecida pelos médicos. Mas isso não significa de forma alguma que “não há nada o que ser feito” ou que o paciente terá que simplesmente “se acostumar com isso para o resto de sua vida” que são frases ainda muito ouvidas em consultórios médicos. Todos os zumbidos, mesmo esses em que a cura completa não é conhecida, podem ter algum tipo de tratamento, que nesses casos teria como objetivo ao menos amenizar e/ou diminuir a percepção do paciente do zumbido.

EXISTE ALGUM EXAME QUE PODE DETECTAR O ZUMBIDO? O zumbido na maioria das vezes é algo extremamente subjetivo e que é percebido apenas pelo próprio paciente. Então até hoje não é conhecido nenhuma maneira de “medir” o zumbido de forma objetiva. No entanto, o zumbido pode ser avaliado com a cooperação do paciente com um exame chamado acufenometria. Nesse exame é possível saber o lado do zumbido, “medir” a intensidade e a frequência sonora em que ocorre o zumbido, bem como verificar o limiar de desconforto do paciente para sons, verificar a intensidade de som necessária para mascarar o zumbido (ou seja, fazer com que não seja perceptível ao paciente) e também verificar a presença de inibição residual, ou seja, ver se o zumbido muda de característica após a colocação de um outro tipo de som no ouvido. Essas características avaliadas podem auxiliar seu médico e fonoaudióloga em alguns métodos de tratamento além de que ajudam o paciente a entender o seu próprio problema.

EM QUE FAIXA ETÁRIA O ZUMBIDO OCORRE COM MAIS FREQUÊNCIA? O zumbido ocorre mais frequentemente nos idosos, mas pode ocorrer em qualquer faixa etária, incluindo crianças.

O QUE PODE AGRAVAR O ZUMBIDO? O zumbido do tipo contínuo, que é o mais comum, pode ser agravado por diversos fatores. Dentre os mais comuns podemos citar os fatores metabólicos como por exemplo alterações da glicose no sangue e alterações hormonais. Alguns alimentos com açúcar e/ou cafeína e períodos de jejum prolongado são outros exemplos. Alterações musculares como contraturas na região da musculatura cervical ou problemas na articulação temporo-mandibular podem tanto gerar como agravar um zumbido. Um outro fator extremamente comum de piora é o estresse, ansiedade excessiva e insônia.

ZUMBIDO PODE CAUSAR PERDA DE AUDIÇÃO? O zumbido é um sintoma e não uma doença.  Então, doenças que cursem com perdas auditivas acabam gerando o sintoma zumbido. Muitas vezes durante a investigação da queixa do zumbido é que descobrimos uma perda auditiva já instalada, mas ainda não percebida pelo paciente pois o sintoma do zumbido é mais perceptível e incômodo do que a própria perda auditiva.

O USO DE APARELHO AUDITIVO AMENIZA E AUXILIA NO TRATAMENTO DO ZUMBIDO? Sim, muitas vezes a perda auditiva pode ser a causa do zumbido. Então, ao iniciar o uso do aparelho auditivo haverá um ganho na capacidade auditiva (o quanto o paciente ouve e compreende) e com isto o zumbido se torna menos perceptível e em alguns casos há a sua  melhora. Em alguns casos em que apenas o ganho auditivo não é o suficiente para o alívio do zumbido, podemos lançar mão de uma tecnologia associada ao aparelho auditivo chamada de gerador de som. Este é capaz de gerar um ruído contínuo capaz de “confundir” ou mascarar a percepção do zumbido.

ABUSO DE MEDICAMENTOS, BEBIDAS, ALCOÓLICAS E CAFÉ PODEM CAUSAR ZUMBIDO? Sim. Alguns medicamentos podem até ser a causa do zumbido. Já as bebidas alcoólicas e a cafeína por serem substâncias estimuladores e desta forma interferem na percepção do zumbido, tornando-o em alguns casos mais intenso e mais incômodo.

SONS MUITO ALTOS PODEM CAUSAR ZUMBIDO? Isto pode ocorrer por dois mecanismos:  se expor por um período prolongado a sons altos pode gerar perda auditiva, sendo esta uma das causas do zumbido e o som alto em um curto período de exposição pode deixar as células ciliadas que estão localizadas na cóclea (órgão auditivo) mais excitadas e essa excitabilidade resulta no aparecimento do zumbido geralmente de forma transitória. Um exemplo típico dessas duas situação são trabalhadores  que operam máquinas sem uso de protetor auditivo (Equipamento de Proteção Individual), na primeira situação e na segunda após ida em um show em que ficamos próximos a caixa de som.

POR QUE É IMPORTANTE DESCOBRIR AS CAUSAS DO ZUMBIDO O QUANTO ANTES? Porque o zumbido pode significar uma série de possíveis diagnósticos e quanto antes chegarmos a uma possível causa, melhor o resultado do tratamento. Isso se dá também pelo fato de que quem gera o zumbido na maioria das vezes é o ouvido, mas quem o percebe é o SNC (sistema límbico/emoções). Devido a isso o nosso sistema nervoso central cria um alerta constante da necessidade de perceber se o zumbido “está ali” e devido a este alerta constante muitas vezes o tratamento se torna mais complexo e difícil. Quanto antes atuarmos nesse mecanismo de ação, melhor o resultado em relação ao incômodo gerado pelo zumbido.

QUAIS OS TIPOS DE DOENÇAS O ZUMBIDO PODE MASCARAR? O que ocorre é que não é que o zumbido mascara outras doenças, mas sim o fato de que muitas vezes a existência do zumbido é tão incômoda que acaba sendo este o motivo da vinda do paciente ao consultório. É através desta queixa que chegamos os possíveis diagnósticos relacionados ao zumbido, como perda auditivas, doenças vasculares e metabólicas, tensões musculares ou articulares causando ou piorando a percepção do zumbido, dentre outras possibilidades.

O ZUMBIDO PIORA NO SILÊNCIO? Sim, aliás em um silêncio absoluto muitos de nós teremos o sintoma zumbido. Devido a isto orientamos a terapia de enriquecimento sonoro para evitar o silêncio absoluto, principalmente no período em que o zumbido está mais perceptível e incômodo.


Instituto Otovida

SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ

Acompanhe Nossas Redes Sociais

  

Localização e Contatos

         

Todos os Direitos Reservados •  JS ATIVIDADE DIGITAL