Acompanhe diversas dicas sobre saúde aqui!

NOSSO BLOG

13B25423-76F1-4905-863A-2352F1309776.png

A audição é uma das principais formas de conexão da criança com o mundo. É por meio da audição que a criança desenvolve a linguagem oral e aprende a falar.

A audição já está formada desde a gestação. Na gravidez, o bebê é capaz de reconhecer a voz da mãe e quando nasce, aos poucos começa a descobrir de onde cada som está vindo, e quem ou o que o está produzindo.

Como saber se o bebê ouve bem?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A triagem auditiva neonatal conhecida como teste da orelhinha é a única estratégia que permite a identificação precoce de bebês com perda auditiva. É um procedimento simples, rápido e indolor que avalia a audição do bebê.

Quais as principais causas da perda auditiva neonatal?

Existem diversos fatores de risco associados à perda auditiva no neonatal, dentre eles os mais comuns são infecções da mãe durante a gestação, história familiar de surdez, prematuridade, peso ao nascer menor de um 1.500g, internação por cinco dias ou mais em UTI neonatal, uso de determinados antibióticos, entre outros.

Se o bebê se assusta com som alto é sinal que ouve bem?

Não necessariamente. Existem vários graus de perda auditiva. O bebê pode ter uma perda auditiva leve ou moderada e ainda assim assustar-se com sons altos. As perdas auditivas leves ou moderadas podem causar atraso no desenvolvimento da linguagem.

No INSTITUTO OTOVIDA realizamos exames e temos profissionais especializados em cuidar de você!!!


236068A2-6461-4955-BA5D-3BFC798DF364.png

agosto 9, 2021 JSUncategorized0

A perda auditiva no idoso, faz parte do processo degenerativo relacionado ao envelhecimento natural do indivíduo. Isso acontece, devido à morte de algumas células auditivas. Cerca de 11% dos pacientes entre 44 e 54 anos já apresentam alguma perda auditiva. Este percentual sobe para 25% entre as pessoas de 55 e 65 anos e chega a quase 50% da população com mais de 70 anos.

Componentes genéticos e fatores de risco específicos como diabetes, pressão alta, tabagismo e uso excessivo de álcool podem acelerar esse processo de perda progressiva da audição ao longo da vida.

Por isso, no decorrer do dia-a-dia cuide da sua saúde e da sua audição. Previna-se da perda auditiva na terceira idade!

No INSTITUTO OTOVIDA temos profissionais especializados em cuidar de você!!!


RONCO.png

O tratamento cirúrgico para ronco e apneia do sono é a modalidade de tratamento que mais tem evoluído nos últimos anos: SLEEP SURGERY (cirurgia do sono) – e tem recebido cada vez mais atenção nas principais universidades de referência nesta área, como as Universidades da Pensilvânia e Stanford, nos Estados Unidos. A tendência atual são as cirurgias que tanto desobstruem as vias aéreas quanto reforçam a musculatura da garganta , destacando-se as cirurgias minimamente invasivas, com uso de laser ou mesmo cirurgia robótica, que acredite, já é uma realidade. Vale ressaltar que ainda hoje o tratamento de referência é o CPAP, mas para os pacientes que não querem ou não se adaptam a essa modalidade de tratamento, a cirurgia é uma opção cada vez mais eficaz.


IMG_5882-1200x675.jpg

O serviço de Saúde Auditiva do Estado de Santa Catarina aumentou a oferta mensal de vagas de 423 para 707 entre 2019 e 2021, o que representa 67% a mais de atendimentos, e distribuiu aparelhos auditivos para a população catarinense. A fila de pacientes graves diminuiu 83%. O avanço se deu por conta de investimentos que ultrapassam R$ 6,2 milhões.

Um comparativo elaborado pela Área Técnica de Saúde da Pessoa com Deficiência da Superintendência de Serviços Especializados e Regulação (ATPCD/SUR) apontou repasses de R$115 mil e R$6.110.657,32 em 2020, aprovados em Comissão Intergestores Bipartite (CIB) pelas deliberações nº 006/2020 e 146/2020, respectivamente.

Com o recurso, revertido em avaliações e fornecimento de aparelhos auditivos para pacientes com problemas de acuidade auditiva, foi possível reduzir a fila de espera de pacientes graves de 109 em 2020, para 18 em 2021. Na avaliação da coordenadora da ATPCD, Jaqueline Reginatto, “observa-se uma significativa redução de 83% do número de pacientes classificados em vermelho, que são o grupo mais grave e inclui crianças em idade escolar e pacientes com meningite.”
Outra melhora está no tempo de espera pela reposição de aparelhos, que em 2019 era de 12 meses, agora varia entre 6 a 8 meses. Esses pacientes são classificados em amarelo, junto com aqueles que apresentam perda auditiva bilateral e pessoas em idade laboral. A fila que era de 3.584 pessoas em 2020, baixou para 2.140 em 2021, representando uma diminuição de 40% em um ano.

A classificação contempla ainda idosos acima de 65 anos e aposentados com perda auditiva bilateral, na cor verde, e pacientes com perda unilateral ou sem critério para utilização de aparelho, na cor azul.

O superintendente de Serviços Especializados e Regulação, Ramon Tartari, destaca que essas conquistas beneficiam crianças em idade escolar com ganho de aprendizagem, adultos em idade laboral com condições de estarem no mercado de trabalho, além de idosos: “permanecemos estudando alternativas de reduzir ainda mais a fila e o tempo de espera das pessoas acometidas por problemas de acuidade auditiva”.

Ass. Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde.


A84B979C-87AB-43DA-9911-8FAD0AD24EAA.jpg

A área médica de otorrinolaringologia é uma especialidade dentro da medicina que estuda doenças do ouvido, nariz e garganta.

Normalmente, um paciente consulta um otorrino se tem sintomas relacionados com essa parte do corpo e doenças como sinusite, faringite, otite, entre outras.

No entanto, existem ramificações de estudo mais específicas dentro da otorrinolaringologia. Uma delas é a otoneurologia – uma área dedicada ao estudo do equilíbrio corporal e do sistema auditivo, que quando afetados podem provocar sintomas como tontura, zumbido e perda de audição.

Recomenda-se consultar um otoneurologista caso apresente alguns desses sinais. Este especialista consegue identificar e diagnosticar com mais precisão qual distúrbio vestibular o paciente tem e, assim, indicar o tratamento mais adequado para o caso.

No Instituto Otovida temos dois Otorrinos especialistas em Otoneurologia:

*Drª. Cristiane Popoaski (CREMESC 17831 – RQE 13633);

*Dr. Evandro Manoel (CREMESC 15867 – RQE 11949).


criança-zumbido-1.jpg

Assim como a perda auditiva, zumbido também é um assunto que muitos julgam pertencer somente ao público adulto/idoso. Mas crianças também podem sofrem com zumbido e de forma bastante comum.

As crianças podem ouvir ruídos anormais nos ouvidos, mesmo em idade pré-escolar. No entanto, na maioria dos casos podem não conseguir expressá-lo ou até nem se aperceberem que existe um som de zumbido incomum por este já ser constante.

Tal como nos adultos, o zumbido nas crianças pode ter um impacto significativo no seu estado de espírito. Um dos ambientes em que isso está mais evidente é no contexto da escola. O zumbido pode afetar a concentração e a reação aos diferentes ambientes, pois tanto salas de aula barulhentas como ambientes silenciosos de estudo podem tornar o zumbido mais evidente.

Em crianças em que o zumbido seja muito deteriorante, pode notar-se uma tentativa de evasão de situações sociais em que exista muito barulho ou confusão, como festas de anos, o que em última instância poderá afetar também o convívio com outras crianças.

Em casa, criança que sofrem de zumbido têm normalmente muita dificuldade em adormecer e mostram-se muito ansiosos. Tudo isto são fatores preocupantes e que devem ser abordados o mais rapidamente possível.

Se notar estes sintomas numa criança, procure um profissional e avalie a sua audição – no Instituto Otovida temos profissionais especializados em atender você e sua família.


6106FC04-61C7-4487-95CB-AA16D6265EA7.png

O FRIO CHEGOU!!! E Você sabe quais são as doenças mais comuns no inverno?⁣

São as infecções respiratórias as principais vilãs que surgem nesta época.

Conheça as mais comuns:⁣

#Bronquite⁣

#Asma⁣

#Gripe⁣

#Resfriado⁣

#Pneumonia⁣

#Rinite⁣

#Sinusite⁣

#Faringite⁣

#Amigdalite⁣

PREVINA-SE⁣

* Procure se alimentar adequadamente para manter a imunidade elevada;

* Beba muito líquido.;

* Evite lugares fechados e com pouca circulação de ar;

* Lave as mãos com frequência;

* Mantenha a casa limpa, livre de poeira, ácaros, etc;

* Mantenha o ambiente bem umidificado;

* Evite fumar;

* Mantenha as vacinas em dia.⁣

Ficou com alguma dúvida ou apresenta alguns dos sintomas entre em contato com o INSTITUTO OTOVIDA – envie sua pergunta ou agende uma consulta – SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ!


23392AA4-8CA9-4EC9-8E0A-9FF9AC25A08A.png

O zumbido é um problema auditivo que afeta uma parte significativa da população. E apesar disso a maioria das pessoas não procura ajuda de um especialista, optando por esperar que o problema passe ou tente ignorá-lo. Consequentemente, muitos mitos sobre o zumbido são criados. Hoje desvendamos a verdade sobre quatro desses mitos.

 

Mito 1: o zumbido é uma doença. 

O zumbido não é considerado uma doença, mas sim um sintoma. O zumbido pode derivar de doenças vasculares, lesões traumáticas do cérebro, ou até do efeito de alguns medicamentos.

Mito 2: todas as pessoas com zumbido eventualmente perde totalmente a audição. 

Apesar de quem sofre de zumbido poder vir a perder a audição, estas são condições independentes. Além disso, a perda de audição não significa total incapacidade de audição. 

Mito 3: aparelhos auditivos não ajudam no tratamento do zumbido. 

Existem, sim, aparelhos auditivos que podem auxiliar tanto na perda auditiva como no tratamento do zumbido. Ao aumentarem o som dos barulhos exteriores, disfarçam o ruído interior do ouvido.

Mito 4: não há nada que possa fazer em relação ao zumbido. 

Existem vários tratamentos indicados no alívio e gestão do zumbido.

A maioria destes mitos está relacionada com a falta de informação acerca do Zumbido, das suas causas e tratamentos. Se deseja ser informado mais detalhadamente sobre problemas auditivos como o zumbido, ou se sofre deste problema, marque uma consulta conosco! No Instituto Otovida temos profissionais especializados em cuidar de você.


ZUMBIDO-CRIANÇAS.jpg

Assim como a perda auditiva, zumbido também é um assunto que muitos julgam pertencer somente ao público adulto/idoso. Mas crianças também podem sofrem com zumbido e de forma bastante comum.

As crianças podem ouvir ruídos anormais nos ouvidos, mesmo em idade pré-escolar. No entanto, na maioria dos casos podem não conseguir expressá-lo ou até nem se aperceberem que existe um som de zumbido incomum por este já ser constante.

Tal como nos adultos, o zumbido nas crianças pode ter um impacto significativo no seu estado de espírito. Um dos ambientes em que isso está mais evidente é no contexto da escola. O zumbido pode afetar a concentração e a reação aos diferentes ambientes, pois tanto salas de aula barulhentas como ambientes silenciosos de estudo podem tornar o zumbido mais evidente.

Em crianças em que o zumbido seja muito deteriorante, pode notar-se uma tentativa de evasão de situações sociais em que exista muito barulho ou confusão, como festas de anos, o que em última instância poderá afetar também o convívio com outras crianças.

Em casa, criança que sofrem de zumbido têm normalmente muita dificuldade em adormecer e mostram-se muito ansiosos. Tudo isto são fatores preocupantes e que devem ser abordados o mais rapidamente possível.

Se notar estes sintomas numa criança, procure um profissional e avalie a sua audição – no Instituto Otovida temos profissionais especializados em atender você e sua família.


Instituto Otovida

SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ

Acompanhe Nossas Redes Sociais

  

Localização e Contatos

         

Todos os Direitos Reservados •  JS ATIVIDADE DIGITAL