Acompanhe diversas dicas sobre saúde aqui!

NOSSO BLOG

13B25423-76F1-4905-863A-2352F1309776.png

A audição é uma das principais formas de conexão da criança com o mundo. É por meio da audição que a criança desenvolve a linguagem oral e aprende a falar.

A audição já está formada desde a gestação. Na gravidez, o bebê é capaz de reconhecer a voz da mãe e quando nasce, aos poucos começa a descobrir de onde cada som está vindo, e quem ou o que o está produzindo.

Como saber se o bebê ouve bem?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A triagem auditiva neonatal conhecida como teste da orelhinha é a única estratégia que permite a identificação precoce de bebês com perda auditiva. É um procedimento simples, rápido e indolor que avalia a audição do bebê.

Quais as principais causas da perda auditiva neonatal?

Existem diversos fatores de risco associados à perda auditiva no neonatal, dentre eles os mais comuns são infecções da mãe durante a gestação, história familiar de surdez, prematuridade, peso ao nascer menor de um 1.500g, internação por cinco dias ou mais em UTI neonatal, uso de determinados antibióticos, entre outros.

Se o bebê se assusta com som alto é sinal que ouve bem?

Não necessariamente. Existem vários graus de perda auditiva. O bebê pode ter uma perda auditiva leve ou moderada e ainda assim assustar-se com sons altos. As perdas auditivas leves ou moderadas podem causar atraso no desenvolvimento da linguagem.

No INSTITUTO OTOVIDA realizamos exames e temos profissionais especializados em cuidar de você!!!


236068A2-6461-4955-BA5D-3BFC798DF364.png

agosto 9, 2021 JSUncategorized0

A perda auditiva no idoso, faz parte do processo degenerativo relacionado ao envelhecimento natural do indivíduo. Isso acontece, devido à morte de algumas células auditivas. Cerca de 11% dos pacientes entre 44 e 54 anos já apresentam alguma perda auditiva. Este percentual sobe para 25% entre as pessoas de 55 e 65 anos e chega a quase 50% da população com mais de 70 anos.

Componentes genéticos e fatores de risco específicos como diabetes, pressão alta, tabagismo e uso excessivo de álcool podem acelerar esse processo de perda progressiva da audição ao longo da vida.

Por isso, no decorrer do dia-a-dia cuide da sua saúde e da sua audição. Previna-se da perda auditiva na terceira idade!

No INSTITUTO OTOVIDA temos profissionais especializados em cuidar de você!!!


IMG_5882-1200x675.jpg

O serviço de Saúde Auditiva do Estado de Santa Catarina aumentou a oferta mensal de vagas de 423 para 707 entre 2019 e 2021, o que representa 67% a mais de atendimentos, e distribuiu aparelhos auditivos para a população catarinense. A fila de pacientes graves diminuiu 83%. O avanço se deu por conta de investimentos que ultrapassam R$ 6,2 milhões.

Um comparativo elaborado pela Área Técnica de Saúde da Pessoa com Deficiência da Superintendência de Serviços Especializados e Regulação (ATPCD/SUR) apontou repasses de R$115 mil e R$6.110.657,32 em 2020, aprovados em Comissão Intergestores Bipartite (CIB) pelas deliberações nº 006/2020 e 146/2020, respectivamente.

Com o recurso, revertido em avaliações e fornecimento de aparelhos auditivos para pacientes com problemas de acuidade auditiva, foi possível reduzir a fila de espera de pacientes graves de 109 em 2020, para 18 em 2021. Na avaliação da coordenadora da ATPCD, Jaqueline Reginatto, “observa-se uma significativa redução de 83% do número de pacientes classificados em vermelho, que são o grupo mais grave e inclui crianças em idade escolar e pacientes com meningite.”
Outra melhora está no tempo de espera pela reposição de aparelhos, que em 2019 era de 12 meses, agora varia entre 6 a 8 meses. Esses pacientes são classificados em amarelo, junto com aqueles que apresentam perda auditiva bilateral e pessoas em idade laboral. A fila que era de 3.584 pessoas em 2020, baixou para 2.140 em 2021, representando uma diminuição de 40% em um ano.

A classificação contempla ainda idosos acima de 65 anos e aposentados com perda auditiva bilateral, na cor verde, e pacientes com perda unilateral ou sem critério para utilização de aparelho, na cor azul.

O superintendente de Serviços Especializados e Regulação, Ramon Tartari, destaca que essas conquistas beneficiam crianças em idade escolar com ganho de aprendizagem, adultos em idade laboral com condições de estarem no mercado de trabalho, além de idosos: “permanecemos estudando alternativas de reduzir ainda mais a fila e o tempo de espera das pessoas acometidas por problemas de acuidade auditiva”.

Ass. Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde.


23392AA4-8CA9-4EC9-8E0A-9FF9AC25A08A.png

O zumbido é um problema auditivo que afeta uma parte significativa da população. E apesar disso a maioria das pessoas não procura ajuda de um especialista, optando por esperar que o problema passe ou tente ignorá-lo. Consequentemente, muitos mitos sobre o zumbido são criados. Hoje desvendamos a verdade sobre quatro desses mitos.

 

Mito 1: o zumbido é uma doença. 

O zumbido não é considerado uma doença, mas sim um sintoma. O zumbido pode derivar de doenças vasculares, lesões traumáticas do cérebro, ou até do efeito de alguns medicamentos.

Mito 2: todas as pessoas com zumbido eventualmente perde totalmente a audição. 

Apesar de quem sofre de zumbido poder vir a perder a audição, estas são condições independentes. Além disso, a perda de audição não significa total incapacidade de audição. 

Mito 3: aparelhos auditivos não ajudam no tratamento do zumbido. 

Existem, sim, aparelhos auditivos que podem auxiliar tanto na perda auditiva como no tratamento do zumbido. Ao aumentarem o som dos barulhos exteriores, disfarçam o ruído interior do ouvido.

Mito 4: não há nada que possa fazer em relação ao zumbido. 

Existem vários tratamentos indicados no alívio e gestão do zumbido.

A maioria destes mitos está relacionada com a falta de informação acerca do Zumbido, das suas causas e tratamentos. Se deseja ser informado mais detalhadamente sobre problemas auditivos como o zumbido, ou se sofre deste problema, marque uma consulta conosco! No Instituto Otovida temos profissionais especializados em cuidar de você.


ZUMBIDO-CRIANÇAS.jpg

Assim como a perda auditiva, zumbido também é um assunto que muitos julgam pertencer somente ao público adulto/idoso. Mas crianças também podem sofrem com zumbido e de forma bastante comum.

As crianças podem ouvir ruídos anormais nos ouvidos, mesmo em idade pré-escolar. No entanto, na maioria dos casos podem não conseguir expressá-lo ou até nem se aperceberem que existe um som de zumbido incomum por este já ser constante.

Tal como nos adultos, o zumbido nas crianças pode ter um impacto significativo no seu estado de espírito. Um dos ambientes em que isso está mais evidente é no contexto da escola. O zumbido pode afetar a concentração e a reação aos diferentes ambientes, pois tanto salas de aula barulhentas como ambientes silenciosos de estudo podem tornar o zumbido mais evidente.

Em crianças em que o zumbido seja muito deteriorante, pode notar-se uma tentativa de evasão de situações sociais em que exista muito barulho ou confusão, como festas de anos, o que em última instância poderá afetar também o convívio com outras crianças.

Em casa, criança que sofrem de zumbido têm normalmente muita dificuldade em adormecer e mostram-se muito ansiosos. Tudo isto são fatores preocupantes e que devem ser abordados o mais rapidamente possível.

Se notar estes sintomas numa criança, procure um profissional e avalie a sua audição – no Instituto Otovida temos profissionais especializados em atender você e sua família.


zumbido.jpg

A pandemia de COVID-19 mudou completamente a vida que conhecíamos. De forma brusca, todos os países precisaram entrar em quarentena e os nossos hábitos e rotina se transformaram.

Aulas online, trabalho home office, muito tempo no computador e celular, atividades diferentes acontecendo no mesmo ambiente familiar e incerteza sobre o futuro.

Toda essa tensão aumentou os relatos da ligação entre zumbido no ouvido e pandemia – situação que está sendo encarada por muita gente nesses tempos de distanciamento social. Acompanhe os detalhes a seguir.

As queixas sobre zumbido no ouvido realmente aumentaram ao longo de 2020 e há estreita relação entre essas reclamações e a longa pandemia de Coronavírus que ainda estamos enfrentando.

Não é que a quarentena tenha causado o zumbido. Ocorre que mais pessoas estão percebendo o zumbido nesse período e o identificando como um grande incômodo.

Por estarem trabalhando em casa e diante desse distanciamento social, as pessoas ao mesmo tempo vivenciam mais o silêncio e se sentem mais estressadas – assim conseguem notar com mais clareza o zumbido existente (que pode existir em apenas um ouvido ou nos dois) e não conseguem conviver com esse barulho.

Você tem ZUMBIDO ou algum problema auditivo? Procure o Instituto Otovida – contamos com uma equipe de profissionais especialistas em cuidar de você.


audição.png

Uma possível perda auditiva é mais difícil de identificar em crianças mais velhas, cuja habilidade na linguagem é mais desenvolvida.

Veja abaixo algumas orientações que podem ajudar os pais a detectar uma possível perda auditiva nos filhos:

*parece ouvir bem algumas vêzes e outra vêzes não responde ao ser indagado.

*assiste TV num volume mais alto que outros membros da família.

*fala com frequência  “o que”.

*posiciona um dos ouvidos para a frente quando está ouvindo e reclama que só escuta com o “ouvido bom”

*queda no rendimento escolar

*diz que não lhe escuta e é obvio que muitos pais acham que seus filhos não são atenciosos quando de fato deve existir uma perda auditiva não identificada.

*parece ser desatencioso.

*fala mais alto que anteriormente.

*olha com muita intensidade quando você fala com ele, como se dependesse mais dos sinais visuais para interpretar a conversa.

Se você suspeita que seu filho tem perda auditiva consulte um médico para orientações com mais esclarecimentos. no Instituto Otovida temos profissionais especializados para atender você e sua família.


audiologia-1030x685-1.jpg

Hoje em dia falamos muito sobre a importância da atividade física, de cuidar do coração, da pele, mas pouco se discute sobre os cuidados com a audição, a fala e o olfato. Assim como os outros órgãos, a audição também envelhece e precisa de monitoramento desde a infância até a terceira idade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a surdez atinge 28 milhões de brasileiros. Isso representa 14% da população do País. No mundo a OMS aponta que 10% da população têm alguma perda auditiva e boa parte dessas pessoas teve a audição danificada por exposição excessiva a sons.

Outro levantamento da OMS mostra que 900 milhões de pessoas em todo o mundo poderão vir a ter surdez até 2050, quase o dobro da quantidade atual. Por esse motivo, a surdez é uma das cinco prioridades da OMS para este século.

Veja abaixo os CUIDADOS necessários e preventivos para uma boa saúde auditiva:

Assim como qualquer outra parte do corpo humano, a audição precisa de atenção especial. Para manter a saúde do tecido auditivo em dia, são necessários cuidados básicos como não se expor a barulhos muito altos em fones de ouvido, evitar introduzir objetos e deixar cair água dentro do canal auditivo, pois isso, pode causar infecções.

O cotonete também é um vilão quando o assunto é audição. As hastes flexíveis são para limpar a orelha e o hábito de limpar dentro do ouvido com o cotonete pode ser um risco, principalmente porque ele pode machucar o tímpano. Ele serve para a gente passar só na parte externa do ouvido.

A limpeza com cotonetes deve se restringir à parte mais externa do ouvido e o uso incorreto pode levar a problemas sérios, e até a surdez. A limpeza de forma errada pode levar à formação de rolhas de cerume que obstruem os ouvidos causando a perda da audição que se resolve, somente, após a limpeza adequada com o otorrinolaringologista.


SURDEZ.jpg

A surdez súbita é a perda repentina de audição ou a piora de uma alteração já existente. Ocorre, na maioria das vezes, em pessoas com mais de 40 anos e pode afetar um ou os dois ouvidos.

Existem vários tipos de sintomas. Em geral, a surdez súbita é percebida pela redução na audição, por vertigens e zumbidos, além da sensação de pressão no ouvido.

Caso tenha sintomas como esse, marque, o mais rápido possível, uma consulta com o otorrino! A avaliação e tratamento precoces são muito importantes para a recuperação do quadro. Nós do Instituto Otovida somos especialistas em cuidar de você!


otorrino.png

Otorrinolaringologia é uma especialidade médica que diagnostica e trata distúrbios do ouvido, nariz e garganta, bem como condições que afetam a cabeça e pescoço. Assim que começam a sentir sintomas de que há problemas nessas regiões, muitos começam a se perguntar qual é o melhor momento para consultar um médico otorrinolaringologista. E é sobre isso que falaremos nesse post.

A avaliação do Otorrinolaringologista é muito importante para o correto diagnóstico e tratamento das doenças que se manifestam nas regiões do ouvido, nariz e garganta. Aliás, há muitos sintomas diferentes que afetam essas áreas do corpo e que sinalizam a necessidade de consultar um médico otorrinolaringologista.

Os sinais de que é hora de visitar um profissional especializado e sintomas mais comuns são:
* Obstrução nasal
* Secreção nasal
* Sangramento nasal (epistaxe)
* Dor de cabeça (cefaléia)
* Dor na face
* Tontura
* Dificuldade auditiva/surdez
* Zumbido
* Secreção no ouvido (otorréia)
* Sangramento no ouvido (otorragia)
* Dor de ouvido (otalgia)
* Dor de garganta
* Rouquidão (disfonia)
* Roncos

Os sintomas mais comuns:
Perda Auditiva
Zumbido
Dor na face
Dor de garganta
Congestão nasal
Dores de cabeça

Problemas tratados por um otorrinolaringologista:
Ouvido e audição
Nariz e respiração
Garganta e Voz
Cabeça e pescoço

No Instituto Otovida temos médicos Otorrinolaringologistas especialistas em atender você. Entre em contato conosco e agende sua consulta: Telefone (48) 32236060 ou WhatsApp (48) 99172-0606 ou (48) 99178-2207


Instituto Otovida

SOMOS ESPECIALISTAS EM CUIDAR DE VOCÊ

Acompanhe Nossas Redes Sociais

  

Localização e Contatos

         

Todos os Direitos Reservados •  JS ATIVIDADE DIGITAL